Proposta Pedagógica

 

PROPOSTA BILÍNGUE

 

Organizamos nossa grade curricular para proporcionar aos alunos as competências e habilidades necessárias para usar as duas línguas em situações acadêmicas e sociais. Nossos alunos têm aulas de diversos eixos e disciplinas em língua inglesa.

 

O currículo da Educação Infantil é baseado nos Referenciais Curriculares Nacionais. No Lobatinho as salas da imersão ao inglês vão do G2 ao G5 (2, 3, 4 a 5 anos de idade) todos os eixos propostos no nosso currículo são trabalhados em inglês.

 

Oferecemos aos alunos da sala de imersão  G4,  uma aula semanal da Cultura Brasileira com intuito de resgatar e preservar a nossa cultura.  Brincadeiras cantadas, quadrinhas, atividades para reconhecimento das letras e sons do alfabeto, são desenvolvidas  nesta aula.

 

No G5 (5 a 6 anos), 75% do tempo é com uma professora bilíngue e 25% com a professora de português,  que inicia o processo formal de alfabetização em língua portuguesa,  com a professora  de imersão.

 

O foco do ensino em inglês até o primeiro ano do ensino fundamental é a oralidade e compreensão do oral.

 

O currículo do ensino fundamental é baseado nos Parâmetros Curriculares Nacionais como demandam as determinações do MEC, ou seja, sendo uma escola brasileira bilíngue ensinamos todas as disciplinas em língua portuguesa e algumas delas em língua inglesa também, com destaque para ciências e matemática no ensino fundamental I, utilizando livros didáticos especiais que oferecem estes conteúdos em inglês.

 

Nossa proposta sócioconstrutivista valoriza o aprendizado produzido diretamente pelas vivências das crianças, priorizando as descobertas individuais, fortalecendo a autoestima e encarando o erro como parte do processo de construção do conhecimento, tornando o ambiente mais prazeroso e propício ao aprendizado.

 

Procuramos manter um ambiente bilíngue diversificado e consciente para que a segunda língua seja adquirida de forma natural, lúdica e prazerosa.

 

Nosso objetivo quanto à oralidade é que, à medida que o aluno incorpora mais palavras ao seu vocabulário, naturalmente se arrisque a formar frases, mesmo que misturando o inglês e o português. Esse comportamento é natural e espontâneo já que ele está exposto à língua falada por meio dos professores ou recursos de áudio. O aluno prioriza o idioma que para ele pareça a “melhor” maneira de se comunicar dependendo dos participantes na situação. Com o tempo, a escolha do idioma torna-se mais consciente, ele aprende a pensar em inglês e troca de língua com mais facilidade e domínio.

Algumas dúvidas dos paises são recorrentes, seguem alguns esclarecimentos:

 

 

 Como crianças vão confundir como duas línguas?

A confusão não é porque as diferentes línguas ficam armazenadas em partes distintas do cérebro. Inicialmente, uma criança pode sim misturar os dois portuguêses e inglês ( código de mistura ) como, por exemplo, ” Professor , eu não trouxe minha bolsa de mão ” ou ” Eu já tenho as mãos “.   Isso é natural, pois já está no seu repertório conhecimentos nos dois idiomas e procura uma melhor maneira de comunicar. Aos poucos o uso das duas línguas vai se tornando mais espontâneo e indivíduo bilíngue passa um trocar de código para outro quando metodo. Por exemplo, vamos comunicar em inglês com um professor e em português com os pais.

 

A aquisição da segunda língua pode prejudicar o português?

O tempo de exposição ao português da criança é muito maior do que ao inglês: momentos com a família, amigos, e todas as horas que não estão na escola, portanto, não há algum problema para uma língua materna.

O importante é que os pais fiquem seguros quanto à postura da escola, um olhar para a comunicação com a alfabetização. A escola entrará em contato, colocando uma família pelas parcerias e se necessário, promocione um especialista.

 

Qual é a melhor idade para se aprender uma segunda língua?

Quanto mais cedo melhor. A criança tem menos vivência da língua materna, fazendo com que aprenda uma segunda mais rápida. Quando chega à escola, receba os resultados, compreende e aprenda o inglês sem esforço. É um aprendido eficaz, pois uma criança pequena não é importante em cometer erros e se comunica com mais facilidade.

 

Há problema sem falamos inglês em casa?  

Não há problema. Os modelos de linguagem que garante o aprendido e a pronúncia correta, como crianças terão na escola. Caso os responsáveis ​​com conhecimento da língua, podem expor uma criança ao idioma de diferentes formas: através de viagens, filmes, jogos interativos, desde que seja prazeroso.